sexta-feira, 29 de maio de 2015

Vice City Stories - Parte 8


Vic vai ao aeroporto esperar por seu visitante. Ele vai com um novo carro conversível que tomou de Marty, pois podia ter mais de uma pessoa o esperando, nunca se sabe. Vic estaciona seu carro em frente à entrada principal e fica em pé aguardando alguém se manifestar. É quando um homem negro se aproxima sorrateiramente de Vic e lhe dá um susto:

 E aí, mano! Hahahaha!

 Lance! O que você está fazendo aqui? – Vic se surpreende.

 Você não parece estar muito feliz... – Lance diz.

 Não estou mesmo! – Vic confirma.

 Valeu, mano. O que você esperava? Que recepção, cara... – Lance resmunga.

 Não você! Alguém útil! – Vic aponta para seu irmão.

 E eu sou o quê? Um inválido? Seu irmão ruim, idiota e vida torta? – Lance diz.

 Mais ou menos isso aí mesmo... – Vic responde.

 Tá bom. Bom, eu não sou o cara que foi chutado do Exército... – Lance ironiza.

 Não, você é o cara que foi chutado dos escoteiros! – Vic responde na mesma moeda.

 Ah, qual é, cara. Eu viajei esse tempo todo para você me recepcionar como se eu tivesse herpes... – Lance se cansa.

 Talvez seja porque sua vida toda foi dar problemas para todo mundo! – Vic se irrita.

 Ah, me dá um tempo, cara. Eu mudei! – Lance diz.

 Tá bom. Vou te dar uma chance. Uma chance. Nada mais... – Vic diz, após pensar calado por um longo tempo.

 É isso aí! Hahaha! Vem cá, cara! Você não vai se arrepender, mano! – Lance abraça Vic – Eu te amo, cara. E amor pode mudar o mundo. Mas, Vic... Eu tenho herpes! Hahaha!

 Sai de cima de mim, cara! Apenas entra nesse carro logo! – Vic diz, sorrindo.

 Hahaha! Estou brincando! – Lance diz.

Lance era o irmão do meio. Ele era um homem agora com vinte e seis anos, bem mais alto que Vic e usava grandes óculos redondos, o que lhe dava um ar de bobo e imaturo. Foi para Vice City porque não aguentava mais viver com sua tia Enid e vice-versa. Vic, ao contrário do que imaginava, não ficou totalmente irritado ao saber que seu irmão estava ali. Fazia muito tempo que não se viam e por um momento relembrou sua adolescência, quando convivia diariamente com Lance.

Os dois entram no carro conversível de Vic. Logo quando estão saindo, dois carros repletos de Cholos os cercam. Todos estão armados e um deles vai andando em direção ao conversível:

 Todos os Cholos estão procurando por você, senhor atirador! – o Cholo era Carlos, o homem que estava dentro de uma loja quando Vic fez um dos maiores caos que Vice City já viu.

 O que você quer comigo? – Lance grita.

 Não estou falando com você! Estou falando com ele! – grita Carlos, irritado – Você matou vários Cholos, agora vamos matar você várias vezes!

Imediatamente, Vic troca de lugar com Lance no carro. Lance passa para a direção e Vic se senta na janela do passageiro e começa a atirar nos Cholos, que revidam.

 Tira a gente daqui, Lance! – Vic grita para seu irmão, que acelera o carro com tudo.

Vários carros com Cholos estavam ali por perto e um drive-by intenso começa nos arredores do aeroporto, matando, inclusive, vários inocentes por bala perdida.

– Essa é uma ideia sua de festa de boas-vindas? – Lance pergunta com ironia.

 Vai! Acelera! – Vic diz ao olhar para trás e ver vários carros o seguindo.

 Espera aí, cara! Para onde eu estou indo, caralho!? – grita Lance, sem conhecer a cidade.

Vic não responde, apenas atira virado para trás. De repente, ele sente um tranco. Lance fez o carro subir em uma rampa que estava encostada em um muro e o carro conversível levanta voo.

 CARALHOOOO!!!!! – os dois irmãos gritam simultaneamente.

 Sou muito lindo para morrer! Hahaha! – grita Lance ao aterrissarem o carro.

Mais Cholos estavam por ali, pareciam ter montado um esquema especial e que sabiam que Vic iria buscar seu irmão no aeroporto. O tiroteio continua.

 Você tem algum amigo nessa cidade? – Lance pergunta – Que merda, eles estão em todos os lugares!

Lance leva o carro até uma galeria de esgoto em Little Haiti. Quando estão andando com o carro por lá, os Cholos posicionam seus vários carros em cima da galeria e começam a atirar de cima. Mas Vic abre fogo e consegue acertar todos antes de sofrer algum dano. Eles saem dali e Lance vê mais uma rampa à frente. Sua impulsão falou mais alto:

 Mais uma chance para Lance Vance!

Lance leva o carro direto para a rampa. Como estavam em alta velocidade, o carro simplesmente levita, atingindo cinco metros de altura.

 Laaaaaaaaaaance! Seu imbeciiiiiiiiiiil! – Vic se desespera, segurando no vidro dianteiro do carro.

Quando aterrissam, um incêndio começa e os dois irmãos logo saem do carro. Ele explode em alguns segundos.

 Você nunca mais vai dirigir! – Vic diz, irritadíssimo.

 Cansei de você, cara. Você me deixa puto. Sempre me trata igual criança! – Lance também fica irritado.

Alguns Cholos não desistem e encontram os irmãos. Vic joga uma pistola para Lance e os dois conseguem eliminar os mexicanos que o perturbavam.

 Eu apreciaria uma carona até o meu hotel... – Lance diz.

Vic e Lance entram em um dos carros dos Cholos e vão até o centro da cidade, onde Lance havia reservado um quarto no 1412 Hotel, um dos mais caros da cidade.

 Impressionante, esse lugar não é barato! – Vic diz, surpreso.

 Hahaha! Não tinha como eu saber. Pedi a eles para cobrarem de você... – Lance diz, rindo, indo em direção a entrada do hotel.

Vic fica furioso e com vontade de sair do carro e espancar Lance, mas tenta manter a calma. Tinha coisas para resolver, como, por exemplo, pegar o dinheiro de seus novos negócios. Ainda no carro, seu pager toca e uma mensagem diz: “Então você está comandando a gangue de Marty agora. Precisamos conversar...”. A mensagem era de um homem chamado Umberto, que logo depois enviou um endereço. Vic já tinha um novo amigo ou inimigo para fazer. Em Vice City, tudo era possível.

Naquela noite, Vic seguiu até o endereço da mensagem e chegou a uma casa em Little Havana. Na garagem, havia um carro típico de membros da gangue cubana da região, conhecida como Los Cabrones. A porta estava aberta, Vic entrou e viu um homem gordo, aparentemente de cinquenta anos, de cabelos longos e negros, bigode e aparência latina, sentado num sofá branco.

 Ei, você é o Umberto? – Vic pergunta.

 Alguém pediu uma stripper? – o homem diz, evitando o olhar para Vic.

 Como é? – Vic pergunta.

 Porque eu gosto das minhas putas um pouco menos carecas... – diz o homem.

 O que? Você é um comediante, amigo? – Vic vai para cima e aponta uma pistola para a cara do sujeito.

 Hahahaha! Não, sou um homem... Assim como você. Umberto Robina. Você deve ser o Vance! – diz Umberto, levantando suas mãos e rindo.

 É, isso aí. Então você ficou sabendo sobre Marty... – Vic abaixa a arma.

– Sim, haha! Fiquei sabendo daquele imbecil! Acabou com um fim desconfortável, hein? Briga por puta... – Umberto sorri – Gostei daquilo... Duas putas chegam, gostosas e soadas e... Bang, bang, bang!

 Sim, tanto faz o que você está metido, cara... – diz Vic.

 Ei, estou metido com homens! Homens se provando homens! – Umberto fica irritado.

 Sim, sim. Parece interessante. Olha, você trabalhou para Marty por anos. Então, papo de homem, eu posso confiar em você? – Vic pergunta.

 Claro, papi! Se você me provar que tem bolas! – Umberto desafia Vic.

Os dois saem de casa e Umberto diz que tem um pacote para coletar no centro da cidade e pede para Vic ir buscá-lo, se conseguir. Vic responde que não era entregador de mercadorias, mas Umberto diz que precisa saber se ele era homem de respeito, caso contrário, não haveria aliança entre os dois. Ele avisa que um garoto chamado Juan iria com ele e contaria tudo que iria acontecer por lá.

Vic entra no carro dos Cabrones junto com Juan e percebem que outros membros da gangue também estão saindo de carro, indo em direção ao centro. Parece que não era apenas Umberto que estava querendo aquele pacote. Então a noite se tornou uma corrida. No meio do caminho, Juan percebe que as pessoas nos outros carros eram carecas, e não havia nenhum membro dos Cabrones que era careca. Eram infiltrados. Assim começa uma perseguição a tiros. Juan põe a cabeça para fora da janela e começa a metralhar os invasores. Ele consegue acertar o pneu de um carro, que desliza e bate na traseira de outro carro invasor, fazendo os dois rodarem na pista e ficarem para trás. Vic chega ao centro e pega o pacote com um traficante em uma esquina próxima ao ginásio da cidade e volta para Little Havana sem maiores problemas. Umberto estava esperando em um carro a algumas ruas de sua casa. Vic e Juan se aproximam e entregam o pacote para o cubano.

 Gracias, Vic! Hahaha, um beijo para você! – diz Umberto ao receber o pacote.

 Uou, hoje não! – Vic recusa amigavelmente.

Umberto entrega setecentos e cinquenta dólares nas mãos de Vic e vai embora com Juan em seu carro. Vic leva o carro novo para sua casa e o deixa guardado para alguma necessidade. Ele tinha agora mais um parceiro no crime organizado. Os negócios de Vic já estavam em ouvidos de pessoas importantes. Era preciso ter muita sagacidade para escolher amizades. Nessa situação, ter Lance na cidade poderia ser um grande problema.

7 comentários:

  1. Muito bom cara, você só comentou um erro num parágrafo aí hee "Lance fica furioso e com vontade de sair do carro e espancar Lance" mas tudo bem, o que vale é a intenção hee seu projeto tá muito bom cara, continue assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada hee eu mesmo cometi um erro no comentário kkkk

      Excluir
  2. Felipe parabens pelo otimo trabalho maass... onde esta a parte 9?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jájá sai, ainda estou me recuperando de uma dengue. Em alguns dias já está tudo normalizado.

      Excluir
    2. Felipe estou a adorar o teu trabalho, sou de portugal e também vim pelo funky e não me arrependi :) és bom no que fazes, muitos parabéns pela teu intresse nisto, já percebi que tens boa força de vontade

      Excluir
  3. Muito booooooom o seu trabalho. Como muitos, estou aqui por indicação do Funky, hehe! Mas apreciei muito seu trabalho e já favoritei o blog aqui. Muito sucesso pra ti e que não haja nenhum empecilho pra conclusão desse grande projeto.

    ResponderExcluir