quinta-feira, 24 de março de 2016

San Andreas - Parte 15


Naquela semana, não se falava de outra coisa em East Los Santos a não ser do ataque aos russos. Os Ballas começaram a sofrer ataques repentinos vindos da máfia e sabiam que haviam sido feitos de otários, coisa que não acontecia com eles antes do retorno da Grove Street Families. Era hora de se vingar, e, para isso, escolheram recrutar um membro da Grove para o lado roxo da cidade.

Little Weasel era um dos soldados da Grove. Seu apelido vinha de sua rapidez e agilidade em confrontos, realmente como um pequeno mangusto selvagem. Em seus estudos sobre as gangues da cidade, os Ballas descobriram que Weasel era um dos Groves “pequenos” que estavam mais insatisfeitos com sua situação, principalmente sobre a proibição de drogas pesadas. Eles investiram nele, ofereceram uma melhor condição como um dos Ballas e Weasel aceitou, passando a agir como um gangster duplo. O que não ficou muito tempo sobre segredo, pois Sweet ficou sabendo da traição e ligou para CJ.

E aí, Sweet? – CJ diz.

A gente tem um problema. Um moleque drogado filho da puta está vendendo drogas para os manos dele da Grove! – Sweet diz.

O que? Quem? – CJ pergunta.

Se liga. Ele está comprando umas paradas em Glen Park. Ele sabe que o bairro está falando dele, então ele está escondido com os novos amigos Ballas dele... – Sweet explica.

Que merda, cara! Como a gente vai pegar ele? – CJ pergunta.

Chegou a hora de você anunciar seu retorno, CJ! Vai lá foder com Glen Park e aquele neguinho viado vai se desesperar e acabar aparecendo! – Sweet grita.

Ok, vou passar aí para te pegar... – CJ diz.

Não, porra! A parada é sua, CJ! Você vai precisar de uns ferros, vai lá na Ammu-nation e compra alguma coisa pesada! – Sweet desliga.

Apesar de Sweet ter dito que aquela era a chance de CJ mostrar que estava à frente da Grove, era claro que se alguém fosse combater um território dos Ballas sozinho, não se daria muito bem, ainda mais naquele momento onde eles estavam acuados e prontos para se defenderem dos ataques russos. CJ então convoca um exército em quatro carros, vai até a Ammu-nation de Market e comanda um ataque em massa a Glen Park, um pequeno bairro em volta de um parque verde com um pequeno lago, onde a maioria das casas era de classe-média, apesar de o local ser amplamente dominado pelos Kilo Tray Ballas.

Os carros dos Groves passa com os vidros escuros fechados a procura de Ballas pelo parque. Eles fazem um cerco com os quatro carros com um em cada canto do local. Havia Ballas reunidos ao lado do lago central, então o carro em que CJ estava estaciona e de dentro saem cinco Groves fortemente armados avançando pelas árvores sorrateiramente. Eles soltam uma rajada de fuzis nos Ballas, que morrem sem reagir. Logo o exército de segurança provisório dos Ballas aparece no parque, causando pânico e correria nas ruas do bairro, com todos os populares buscando desesperadamente suas casas. Os três carros restantes dos Groves param e deles sai um exército dos Groves, que estavam com mais de vinte homens para a ação. Uma guerra de gangue se inicia, mas os Groves estavam em vantagem, pois a grande maioria dos Ballas estavam sob efeito de entorpecentes, causando lentidão em suas reações. Nesse momento, CJ tem um estalo e finalmente entende o motivo de Sweet ser tão radicalmente contra drogas pesadas em sua gangue, era uma questão de mantê-los sempre alertas e no melhor estado mental possível para protegerem o bairro.

Enquanto Groves matavam Ballas incessantemente, CJ ouve alguém gritando o nome de Little Weasel. Ele estava vestido de roxo, saindo correndo de uma das casas ao lado do parque. Ele gritava desesperadamente:

O Tenpenny armou para mim!

CJ ouve enquanto corria atrás de Weasel, sabendo que tudo aquilo era por culpa de Tenpenny. Claramente ele estava envolvido em todas essas traições entre membros de gangues rivais, como já havia deixado claro para CJ no centro da cidade nos últimos dias. CJ rapidamente se lembra dos contatos da CRASH com Smoke e Ryder, suspeitando das atitudes dos dois desde que voltou para Los Santos, mas uma parte muito grande de CJ não queria acreditar que os dois poderiam se corromper da forma como Weasel se corrompeu, que, aliás, foi morto com quatro tiros nas costas, beijando a grama do parque de Glen Park. O bairro foi tomado de volta pela Grove, tendo homens de verde pelas redondezas novamente depois de cinco anos.

O dia seguinte ao ataque começa com tranquilidade. Foi armada uma defesa especial na Grove Street para um possível contra-ataque dos Ballas, mas nada ocorreu. Parecia que eles estavam preocupados com outra atividade naquela manhã: enterrar os mortos do dia anterior. Sweet sai de casa e vê CJ sentado na escada de casa, tomando um café e olhando o movimento.

E aí, maninho! – Sweet cumprimenta CJ.

Qual é? – CJ responde.

Se liga: Tenpenny passou por aqui mais cedo, disse que aquele Balla que você passou, Little Weasel, está sendo enterrado, e todos os OGs deles vão estar lá! – Sweet diz.

Em um funeral? – CJ ri.

Sim! Vamos pegar aqueles negões de merda todos de uma vez! – Sweet se anima.

Em um funeral... – CJ pensa, enquanto os soldados da Grove do dia anterior se aproximam dos irmãos.

Igual ao da mamãe! – Sweet planeja uma vingança – Vamos detonar aqueles filhos da puta! A gente tem que fazer uma parada grande! Colocar a Grove no mapa de uma vez por todas! Para sempre!

Beleza, negão. Vambora! – CJ diz.

A gente vai precisar de aliados! – Sweet diz a todos.

Todos os Groves ali se oferecem para participar de mais um ataque, então novamente quatro carros vão em direção ao Vinewood Cemetery, o mesmo cemitério onde Beverly Johnson estava enterrada, em uma área chamada Los Sepulcros, onde ficavam as sepulturas.

Nós vamos dar a volta por Los Sepulcros e aí pulamos o muro... – Sweet diz dentro do carro.

Kane? Esse cara não é um dos líderes da Front Yard? – CJ pergunta ao ouvir dois soldados conversando.

É, mas ele é daqueles que a qualquer sinal de treta, ele vaza! – Sweet diz.

Após quinze minutos de viagem, todos chegam aos fundos do cemitério, onde pulam o muro sorrateiramente.

É por aqui! Vem, CJ! – Sweet diz enquanto anda pelas sepulturas – Nós vamos ficar por aqui e esperar por Kane...

Kane era um dos maiores líderes dos Ballas, sendo o líder dos Front Yard Ballas, os que estavam mais perto dos Groves. Matar Kane significaria um grande golpe nos Ballas que rodeavam Ganton e uma grande paz momentânea para a Grove Street Families.

Ele chegou! – Sweet diz ao ver um carro com vários Ballas se aproximando do local onde o caixão de Little Weasel estava sendo enterrado – Parece que aqueles filhos da puta estão de colete. Pode demorar um pouquinho para a gente derrubar esses safados! Ok, CJ. Você pega o Kane que a gente pega o resto desses otários!

Outro intenso tiroteio começa entre Groves e Ballas. Mas dessa vez, os Ballas estavam bem mais preparados e ligados. Enquanto os soldados da Grove avançavam nos seguranças, CJ corria para matar Kane, que estava próximo ao caixão, ao lado de uma mulher e de um padre. Para se defenderem, os soldados dos Ballas avançam contra os soldados da Grove, deixando o líder totalmente vulnerável, armado apenas com uma pistola, enquanto CJ portava uma submetralhadora. Não demora muito para Kane ser morto com um tiro na cabeça. Mas enquanto o líder morria, os soldados faziam uma limpa nos Groves. Vários soldados de verde foram mortos ali naquele cemitério, mas mesmo assim os Ballas não possuíam profissionalismo e bom treinamento em guerras de gangue como os Groves, que vencem ao verem o último homem de roxo cair sem vida. Não havia tempo de carregar os corpos, pois sirenes de polícia começavam a aparecer ali por perto.

Boa, CJ! Vamos voltar para o carro! Todo mundo dentro! Vambora! – Sweet grita.

Todos voltam para seus carros na rua de trás e fogem rapidamente de perto do cemitério, onde algumas viaturas rondavam, mas não desconfiaram dos carros dos Groves. Ao estar voltando para casa, mesmo com as baixas na gangue, Sweet comemora:

Cara, a gente foi um exército lá! Todo mundo vai para casa, fica de boa, a gente se vê durante o dia!
Todo mundo segue as ordens do líder da Grove. Todos ficam entocados até o início da noite. CJ vai até a casa de seu irmão e lá encontra Big Smoke e Ryder, que não estavam no bairro nas últimas semanas, com a desculpa de que foram visitar um antigo membro da gangue que estava morando em San Fierro. Todos estavam vendo uma fita pornô de Candy Suxxx na sala.

Porra, essa vagabunda é muito boa... – Smoke diz.

E aí, galera... – CJ cumprimenta a todos.

E aí, CJ! – todos respondem.

Desliga essa televisão aí... – Sweet pede ao irmão – Ouçam, caras, como estávamos conversando, não há mais bagulho nas ruas.

Finalmente! – CJ diz.

Se liga: nós vamos reunir as Families mais uma vez. Os Ballas vem deixando nossos manos cheios de bagulho na cabeça há muito tempo, enquanto a gente fica aqui brigando uns com os outros. Então todas as Families vão se encontrar no Jefferson Motel. É hora de a gente chegar lá e deixar as coisas bem claras! Tirar essas merdas das nossas ruas! Eu voto para eu ser o representante dessa vez... – Sweet diz.

Beleza... – CJ diz.

Tudo bem. Se o Sweet acha que pode fazer isso, estou fechado com ele, caras! – Smoke cumprimenta Sweet.

Beleza, então vambora, manos! – Sweet diz.

Vamos! – CJ diz.

Vamos lá! – Smoke reforça, enquanto Ryder apagava seu baseado.

Todos entram no carro de Sweet e CJ dirige. Eles iriam se encontrar no Jefferson Motel, um pequeno motel de trinta quartos, em Jefferson, para uma reunião entre as Families: Grove Street, Seville Boulevard e Temple Drive, para voltarem a se unir contra Ballas, Vagos e Aztecas novamente. No caminho para o motel, Ryder volta a encher o saco de CJ:

Diz aí, CJ, você vai bater o carro de novo?

Vai se foder, Ryder! – CJ responde.

Ryder, dá um tempo para o CJ, cara! Ele praticamente levantou a Grove sozinho... – Sweet diz.

Só estou fazendo uma piada com esse neguinho... – Ryder ri.

Tudo que você faz é uma piada, Ryder! – CJ se irrita.

Isso não é verdade! – Ryder responde.

Ryder, relaxa aí, caralho! – Smoke se irrita.

Vocês tem que lembrar que estamos reunindo as Families, então nada de besteira! Fiquem de boa! – Sweet diz.

Você me conhece, Sweet! Sou calmo como um monge Shaolin... – Ryder diz.

Especialmente você, Ryder! – Sweet retruca.

Como assim? Essa sua implicância me deixa puto... – Ryder reclama.

O Sweet só falou que você é um assassino de nascença, baby! – Smoke diz – Você só tem que ficar ligado e ficar de boa...

Sim, eu estou ligado. Entendo o que ele está tentando dizer, mas eu estou sempre de boa, maluco! – Ryder continua reclamando.

Todo mundo concorda com isso, baby... – Smoke ri.

CJ chega ao Jefferson Motel e já percebe vários carros e membros das Families no estacionamento.

Ok, é estritamente um representante por gangue. Vocês vão ter que esperar aqui... – Sweet diz.

Vamos estar aqui caso algo aconteça, mano... – CJ diz.

Valeu, mano, mas eu estou fechado com os caras... – Sweet sai do carro e entra no motel.

Não estou gostando disso, cara! – Ryder reclama – Olha esses caras das outras Families. Todos eram da Grove Street!

Relaxa! Nós estamos de boa e eles estão de boa! – CJ responde – E você, Smoke?

Estou me sentindo um pouco exposto, mas estou bem... – Smoke diz.

De repente, um helicóptero da LSPD chega ao local com vários atiradores posicionados e apontando canhões de luz. Eles pairam sobre o hotel e usam um megafone para falar com todos os gangsteres no motel:

AQUI É A LOS SANTOS POLICE DEPARTMENT! TODO MUNDO PARADO!

Começa uma correria no estacionamento do motel. Todos que estavam ali entram em seus carros e saem cantando pneu.

Todas as unidades: ROCK N’ ROLL! – o capitão da polícia dá a ordem para os soldados descerem do helicóptero em cordas.

Que merda! – CJ grita e sai do carro, correndo em direção à entrada do motel.

Cara, o que você está fazendo!? – Ryder grita para CJ.

Carl, volta! A gente tem que sair daqui, baby! – Smoke grita.

Eu não vou abandonar meu irmão, não sou cuzão! – CJ grita.

Cara, é cada filho da puta por si! – Ryder grita e assume o volante do carro.

Ryder e Smoke deixam o estacionamento do motel voando baixo. CJ fica sozinho, vendo vários policiais descendo para o estacionamento e o telhado do motel. Ele entra rapidamente e anda pelos corredores a procura de seu irmão. Em uma escadaria, ele vê um gangster ferido na barriga sentado no chão e pergunta:

Onde os OGs estão? Tenho que buscar meu irmão Sweet!

Eles estão se encontrando em algum lugar nos fundos do motel... – o gangster diz com dificuldade.

Após correr por vários corredores do pequeno motel, CJ vê vários membros das Families em um tiroteio contra policiais que invadiam os quartos pelas janelas e pelo teto.

Families, tem policiais descendo pelo teto! – CJ grita avisando a todos.

Antes de os policiais chegarem ao chão, eles são baleados por tiros de todos de verde ali, que se juntam e trabalham em equipe novamente. CJ avança pelos corredores até chegar em frente ao quarto em que Sweet estava escondido.

Por que essa demora? Cadê o Smoke e o Ryder? – Sweet pergunta ao ver seu irmão sozinho.

Eles vazaram! – CJ abraça Sweet.

Foda-se eles! Vamos sair daqui! – Sweet diz.

Sair pela porta da frente era impossível. O prédio estava completamente cercado. A única alternativa era o teto, mesmo com alguns policiais entrando por lá. Mas no caminho da escada até o teto, não havia ninguém. CJ e Sweet rapidamente atravessam o terraço do motel para irem até a escada de emergência, mas são surpreendidos pelo helicóptero da LSPD:

AQUI É A LOS SANTOS POLICE DEPARTMENT! TODO MUNDO PARADO!

CJ, esse helicóptero está em cima de nós. Atira! – Sweet grita, se escondendo atrás de um dos vários geradores do terraço.

CJ começa a atirar com seu fuzil AK-47 em direção à hélice do helicóptero. Com a boa mira de CJ, começa a haver uma pane e o motor começa a falhar, fazendo a aeronave perder estabilidade e balançar, forçando um pouso não planejado no estacionamento, o que permite que os Groves desçam pelas escadas e cheguem à rua de trás do motel.

Que merda, e essa agora!? – Sweet diz ao ver o carro em que chegaram ao motel virando a esquina.

Smoke e Ryder! – CJ reconhece.

Entra aí! – Smoke grita ao parar o carro.

Acelera aí! – CJ grita ao ver viaturas começando a persegui-los – Cara, eu estou sem munição!

Eu tenho um fuzil aqui! – Ryder mostra.

Essa velharia fodida aí!? – CJ reclama.

O Emmet não é o Pentágono! – Ryder rebate.

Você arrumou isso no Emmet? Puta que pariu! – CJ não acredita.

CJ, cobre a traseira! – Smoke grita.

CJ atira no vidro traseiro, o quebrando, e começa a atirar contra as viaturas que vinham logo atrás. Ao passarem pelos trilhos, as viaturas são atingidas por um trem que passava naquela hora, ao qual o carro dos Groves escapou por milésimos de segundos de ser atingido.

Eles se foderam! Vocês viram? – Ryder grita.

Porra, essa passou perto! – CJ diz.

Cara, está ficando pior! Cada vez mais intenso! Está parecendo a oitava guerra mundial! – Ryder diz ao ver mais viaturas se aproximando – CJ, olha a esquerda!

Sua esquerda ou a minha esquerda? – CJ se confunde, pois vinha uma viatura pela sua direita.

Porra, eu sei lá! Atira em todo mundo, filho da puta! – Ryder grita.

Tem mais na frente! – Smoke grita ao ver mais uma viatura na sua dianteira – Carl, eles estão na nossa cola, baby!

CJ, olha nossa direita! – Sweet se abaixa para seu irmão continuar atirando em todas as direções.

Dois policiais estavam parados em suas motos em uma esquina quando veem a perseguição frenética nas ruas naquela noite. Contra suas vontades, eles colocam o capacete e ligam as motos.

Desperdício de boas rosquinhas... – um dos policiais diz ao jogar sua rosquinha no chão.

Vambora... – o segundo diz.

Fica ligado na nossa dianteira, CJ! – Smoke grita.

Um dos policiais das motos se aproxima do carro e pula no para-brisa, segurando nas janelas, sacando sua arma para atirar em Smoke, que dirigia.

Caralho! Olha isso! – CJ grita ao ver a cena e atira contra o policial, o matando na hora.

Eu queria ter ficado em casa e assistido aquela porra de jogo! – Smoke diz – Carl, atrás de nós! Atrás de nós! Se apoia na janela!

Smoke, que porra é essa que você está fazendo!? – CJ estranha a fala do gordo e percebe que ele estava entrando em um lava-jato – Porra, Smoke, tem sabão no meu olho! Smoke, você é louco!

Eu gosto das coisas limpinhas! – Smoke ri.

CJ, olha a esquerda! – Ryder repete.

Ei, a gente já não esteve aqui antes? – CJ começa a perceber que Smoke estava dando voltas.

Eu estou pegando as opções que eu tenho, beleza? – Smoke se esquiva – Talvez se você tivesse uma boa conversa com esses policiais, eles deixariam a gente em paz!

Cara, tem outro idiota pendurado na traseira do carro! Atira nele aí!  – Ryder vê outro policial se jogando no carro, que morre logo quando CJ se vira.

Que merda, só tem cuzão no meu retrovisor! CJ, resolve isso aí! – Smoke diz ao ver que ainda havia várias viaturas em sua cola, e vê mais na frente – Que merda! A rua está bloqueada!

O fuzil não tem mais bala! – CJ grita ao ver as viaturas paradas na frente do carro.

Foda-se! Eu vou passar por eles! – Smoke acelera e atropela dois policiais, com um deles ficando pendurado novamente no para-brisa do carro enquanto passavam por um beco.

CJ, tem um passarinho ali na frente! – Sweet avisa.

Aqui é a LSPD! Não ouse... – o policial falava quando ouviu um barulho de motor, era um helicóptero que vinha em direção ao carro, em uma altura que, com certeza, o atingiria, o que o fez gritar desesperadamente com o piloto, inutilmente – EI! QUE PORRA É ESSA!? VOCÊ ESTÁ MUITO BAIXO! VAI MATAR TODO MUNDO!

Dá ré, Smoke! Dá ré! – Sweet grita desesperadamente.

Porra nenhuma! Eu vou passar! – Smoke diz e acelera em direção ao helicóptero.

CARA, A GENTE VAI MORRER! – Ryder grita e se encolhe no banco do carona.

O helicóptero se aproxima do carro com a hélice inclinada para frente, fazendo com que o carro sofra várias batidas das hélices na lataria, cortando o policial no capô em pedaços, dando um banho de sangue em todos.

Que merda! – CJ grita.

Diminui, Smoke! DIMINUI! – Sweet grita ao ver que o beco levava a um outdoor.

Porra! O freio já era! – Smoke grita.

O carro atravessa o outdoor de madeira e cai de quinze metros de altura direto na Los Santos Freeway, uma estrada próxima a Grove Street por onde passavam vários caminhões em direção a outras cidades. E é direto em um desses caminhões que o carro dos Groves bate violentamente. O caminhão era da Xoomer, uma empresa de combustíveis, e carregava um tanque cheio de gasolina. Com o impacto, o carro explodiu, inflamando todo o tanque do caminhão, fazendo acontecer uma explosão espetacular, que foi ouvida em toda a cidade e até em cidades vizinhas.

Mas Sweet, CJ, Big Smoke e Ryder não estavam naquele carro. Logo antes de baterem no outdoor, eles pularam do carro em movimento, rolando até atingirem um muro de concreto que os impediu de caírem daquela altura. Após a imensa explosão, ainda meio surdos, eles se levantam e veem o resultado catastrófico daquela noite.

Porra! Essa vai ser uma baita de uma história para a gente contar quando estivermos passando um baseado... – Smoke diz, olhando pelo buraco do outdoor.

Cara, essa merda foi séria! – Sweet suspira aliviado por estar vivo.

Que se foda! A gente tem que sair daqui! – Ryder diz.

Ryder está certo. Todo mundo se separa e a gente se encontra mais tarde! – Sweet diz e corre.

Cada um dos Groves vai para uma direção pelas ruas de East Los Santos e cada um chega em um horário diferente à Grove Street, menos Big Smoke, que vai para sua casa em Idlewood. CJ chega em sua casa de madrugada, após ficar entocado na casa de Denise por algumas horas, aproveitando tudo o que ela tinha a oferecer.

A manhã seguinte traz uma ligação de Cesar.

Quem é o perdedor ligando agora? – CJ atende brincando.

É, acho que sou eu, mano... – Cesar responde sem graça.

Porra, César! Foi mal, mano! Achei que era a Kendl. A gente faz essas paradas desde criança... – CJ ri.

De boa, ese... – Cesar diz – Você dirigiu bem na semana passada!

Valeu! – CJ agradece.

Estou ligando para te convidar. Sua irmã disse que eu e você deveríamos sair, nos conhecermos melhor... – Cesar diz.

Ah, beleza. O que você tem em mente? – CJ pergunta.

Quer conhecer minha garagem? Tem umas cervejas aqui... – Cesar propõe.

Pode ser! – CJ se anima.

Traz um carro maneiro, cara. Vou dar uma tunada para você! – Cesar diz.

Pode crer! Até mais! – CJ desliga.

CJ liga seu low-rider e vai novamente à casa de seu cunhado em El Corona. A garagem estava aberta e lá estavam Cesar e Kendl ao lado do carro do Azteca. CJ deixa seu carro estacionado na rua. O clima parecia muito bom, então ele chega em alto astral:

Que pasa, Cesar!

E aí, mano! – Cesar diz e abraça seu cunhado – As cervejas estão no banco ali. A gente só tem que tomar logo antes que a galera do bairro chegue!

Então, como vocês dois estão indo? – CJ pega uma cerveja e pergunta sobre o casal.

Está tudo bem, CJ. E você e a... errr... Com quem você está namorando mesmo? – Kendl pergunta.

Ah, você me conhece. Eu ainda não achei a garota certa... – CJ ignora o caso com Denise, que já se espalhava pelo bairro.

Aham... Você nunca vai achar a garota certa porque você trata todas que nem lixo... – Kendl diz.

Calma, anjo! O homem não acha o amor. O amor acha o homem, né, carnal? – Cesar ri.

Pode crer, é isso aí, cara! – CJ também ri.

É, acho que é isso mesmo... – Kendl ri.

Então, CJ, vamos ver seu carro! – Cesar diz.

Ele não tem nada demais, você sabe... – CJ responde.

Deixa o Cesar fazer sua mágica, vou fazer ele ficar especial! – Cesar ri e sai da garagem, mas não vê carro nenhum na rua – Mas cadê ele?

Que porra é essa!? – CJ olha para a rua e não vê seu carro.

Achei que você tivesse dito que o carro estava aqui... – Cesar não entende.

Porra, que merda! Foi rebocado! – CJ, já furioso, vê um pequeno aviso da polícia deixado ali por ele ter estacionado o carro em frente à garagem de outra casa.

O que!? – Cesar não acredita.

Meu Deus! – Kendl também fica espantada.

Porra! Qual é o problema dessa cidade!? Sempre estão rebocando as paradas dos outros! – CJ grita.

Que merda, mano! – Cesar diz.

Eu nem ouvi! Vocês ouviram alguma coisa? – CJ ainda não acredita.

Não! – Kendl diz.

Eu ia dar uma olhada no carro agora... – Cesar diz.

Porra! Eles são o que!? O serviço secreto de rebocadores de carro? – CJ chuta o lixo na calçada – Caralho! Vai se foder!

Calma-te, mano! Não se preocupa! A gente pode pegar o carro de volta! Eu sei para onde eles levam os carros. É de boa... – Cesar diz e beija Kendl – Já volto, amor...

Tá bom, amor... – Kendl diz.

Entra aí, CJ! – Cesar entra em seu carro e abre a porta.

CJ entra no carro de Cesar e os dois vão para o centro da cidade rapidamente.

A unidade de polícia da cidade fica na Pershing Square, em Commerce... – Cesar diz.

É, eu conheço lá... – CJ responde.

Tem uma entrada à esquerda que leva para o estacionamento subterrâneo. Atrás fica uma garagem para onde eles levam os carros rebocados... – Cesar diz.

Ah, cara, vou arrumar treta com os policiais? – CJ reclama.

É, eu sei, mas se o seu carro premiado não está na rua quando você volta até ele, provavelmente ele foi rebocado... – Cesar diz.

CJ não tinha nada para falar. Ele não ficaria sem seu low-rider por conta dos esquemas corruptos da polícia. Eles chegam à entrada do estacionamento do quartel da LSPD, onde OG Loc estava preso até pouco tempo.

É aqui, CJ... – Cesar diz.

Beleza, cara. Valeu. Acho que eu consigo me virar daqui... – CJ agradece e sai do carro.

A entrada do estacionamento, apesar de possuir uma guarita, era liberada para a população, que geralmente ia até a garagem de carros rebocados para recuperá-los legalmente. Mas CJ não se importava muito com questões legais. Ele estava ali para recuperar seu carro de qualquer jeito.

Ok, moleque, pode seguir... – o policial da guarita abre a cancela para CJ.

CJ vai até a garagem onde seu carro estava e pula a cancela. Um policial vê e já saca sua arma, apontando-a para o Grove, que já havia pulado em seu carro e ligado o motor com sua chave.

Ei, você! Polícia! Parado! – o policial grita.

CJ ignora o policial e o atropela, passando com o carro pela cancela fechada e chamando a atenção de vários policiais, que vão correndo para suas viaturas para perseguir o fora-da-lei. Mas pegar o melhor motorista da Grove era difícil. CJ logo despista as viaturas e volta para El Corona, direto para a garagem de seu cunhado. Cesar fica feliz pela recuperação do carro e, como prometido, usa seus conhecimentos em equipamentos para dar um presente a seu novo cunhado.

Olha só, CJ, nitro! – Cesar anda com o low-rider de CJ pela rua, agora com nitro.

Beleza! – CJ fica animado com seu recuperado e tunado carro.

Para comemorar, Cesar chama alguns amigos de sua gangue, compra mais cerveja e carne, e um churrasco é organizado para durar o dia todo. CJ se enturma com os vários Aztecas, fortalecendo a união entre eles e a Grove Street Families. Ao fim da noite, CJ volta para casa com seu low-rider são e salvo.

2 comentários: